Voltar à lista de produtos

LEISH-TEC

Vacina Recombinante para prevenção de Leishmaniose Visceral Canina.

LeishTec é uma Vacina Recombinante para prevenção de Leishmaniose Visceral Canina, há mais de 10 anos no mercado. É a única aprovada pelo MAPA e pelo Ministério da Saúde.

*Apenas animais soronegativos podem ser vacinados! Em estudo, a Leish-Tech obteve como resultado 96,41% de proteção contra a Leishmaniose Visceral Canina no grupo vacinado, o que corresponde a 71,3% de eficácia vacinal.

Instruções de Uso

É obrigatório o exame sorológico negativo e exame clínico antes da vacinação, certificando que o animal não apresenta nenhum sintoma clínico da doença.

Para cães que iniciam a vacinação com Leish-Tec®, deve-se respeitar o seguinte protocolo:

  • Primovacinação em cães a partir de 4 meses de idade, com 3 (três) doses da vacina em intervalos de 21 dias entre as doses, por via subcutânea.
  • Caso ocorra atraso ou antecipação entre as doses da primovacinação (3 doses totais) de até 7 dias (1 semana), não é necessária nenhuma dose adicional da vacina. Caso o atraso em qualquer uma das doses da primovacinação exceda 7 dias (e no máximo de 4 semanas), recomenda-se administrar uma 4a dose adicional da vacina. Casos em qualquer uma das doses for superior a 4 (quatro) semanas, recomenda-se reiniciar o protocolo completo de vacinação (3 doses).
  • Deve ser assinado o certificado de vacinação pelo responsável do cão ao iniciar o protocolo vacinal, individualmente para cada animal, o qual deve ser obtido no site http://leishtec.com.br/ pelo médico veterinário. É necessário guardar o certificado por pelo menos 3 anos, por recomendação do MAPA.
  • Na revacinação anual, deve-se aplicar uma dose de Leish-Tec® (via subcutânea), sendo que se deve contar 1 (um) ano a partir da data da primeira dose de vacina administrada na primovacinação (NÃO a partir da 3a dose). Em caso de atraso, o mesmo pode ser de até 4 (quatro) semanas, mantendo-se a indicação de dose única nesse caso, mas se recomenda refazer o protocolo completo (3 doses) com atraso superior a 4 (quatro) semanas da data ideal de revacinação anual.

Voltar ao topo